Direito Tributário, o blog. Motivo e Desafio.

Escrever sobre Direito Tributário é algo que faço diariamente, seja atualizando meus livros, proferindo sentenças, criando material de apoio a aulas, ou simplesmente compilando e anotando jurisprudência.

Se, nos últimos 20 anos, sempre foi assim, por que não criar um repositório oficial dos meus escritos, aberto à leitura ou ao comentário crítico de qualquer interessado?

A ideia, que estava latente em mim, acabou explodindo em uma obrigação de execução imediata quando li ontem a notícia de que os domínios .blog estavam enfim disponíveis ao público em geral. Imediatamente adquiri o domínio direitotributario.blog e hoje, manhã seguinte, estou criando o site, para o qual escrevo esta primeira postagem.

O objetivo, aqui, é fazer no mínimo três postagens semanais. Aliás, mais que um objetivo, esse é um desafio que lanço a mim mesmo. Pode ser difícil no começo (são muitos os afazeres diários), mas o esforço inicial deve me dar direção e fluência. Acho que material não vai faltar. Pretendo comentar julgados relevantes, adiantar trechos de atualizações de minhas obras, reproduzir teses que firmar em decisões judiciais e muito mais.  Criar um espaço para postagens de convidados também é algo que está em meus planos.

Se vai haver público para acompanhar as postagens é algo que não atrai a minha preocupação imediata. Lógico que busco interatividade e, para alcançá-la, é preciso que o blog gere um mínimo tráfego. Por outro lado, há muito tempo eu precisava de um espaço online para organizar minhas ideias. De Dropbox a Google Docs, passando por CDs e pendrives, já tentei de tudo um pouco, mas continuo com problemas para encontrar meus textos.

“Onde está aquele meu apanhado de julgados sobre imunidade?”

“Cadê aquele texto sobre ICMS que preparei ano passado para os alunos?”

“Onde salvei o artigo que ia mandar para aquela revista?”

No more. Agora vai ficar tudo registrado aqui. Esse será o meu repositório oficial, o meu hub, o meu diário de professor/autor. A viagem começa em 3, 2, 1…já.

Se quiser me acompanhar, será um prazer.

 

Deixe uma resposta